Veterinária » Tumor mamário em cadelas

Bom pessoal neste mês falarei de uma patologia muito conhecida de vcs o tumor mamário em cadelas. Primeiramente falarei do curso desta neoplasia , de como podemos prevenir e depois de como tratar.

Sabemos que os cães e gatos tem glândulas  mamárias e que as fêmeas são mais acometidas que os machos.

Tumores são neoplasias podendo ser malignas ou benignas. Vamos a algumas Definições: Tumor (neoplasia) é um termo usado para designar uma proliferação celular anormal, excessiva e descoordenada, que não cessa quando o estímulo inicial termina.

A palavra "tumor" vem do latim tumor, que significa inchaço.A origem do tumor é multifatorial, com influência de fatores genéticos e/ou ambientais. Independentemente das causas, o tumor caracteriza-se pela perda da capacidade das células de controlar de forma adequada sua proliferação e diferenciação. Podem ser classificados em : Benignos e malignos.

Os tumores benignos normalmente estão localizados em uma única massa tumoral, circunscrita por cápsula ou tecidos adjacentes comprimidos, manifestando-se por meio de ocupação de espaço e compressão. Não apresentam risco de metástase (disseminação e crescimento das células tumorais em locais distantes da sua origem) e, quando removidos cirurgicamente, não voltam a surgir.

Os tumores malignos podem se disseminar para outros órgãos (metástase) e destroem tecidos adjacentes, levando à morte do indivíduo.

O tumor maligno também é chamado de "câncer", que significa "caranguejo" em latim. A razão para este nome pode estar relacionada ao fato do caranguejo prender-se de forma obstinada ao hospedeiro ou à semelhança visual do tumor com o mesmo.

Em estudos mais recentes temos visto que os tumores são de maior prevalência em cadelas idosas, após 7,5 anos,  sendo que quanto mais cedo diagnosticados menores são as chances deste se tornarem malignos .Sabe-se também que a porcentagem de malignidade se torna muito mais alta do que a de benignidade quanto mais tardiamente diagnosticado e for feita a retirada destes .

 Vale ressaltar e destacar aqui a importância de não se fazer uso de contraceptivos em cadelas e gatas , pois estes aumentam em 100% as chances destes animais terem tumores. Portando o melhor método de se precaver dos cios das fêmeas será a castração e nunca, jamais usar contraceptivos!

Deve-se ao menos uma vez por mês tocar as tetas de suas cadelinhas para que uma vez adquirido o hábito de estar sempre tocando qquer aparecimento de nódulos seja mais facilmente perceptível ao proprietário podendo também estar levando seu pet a consultas rotineiras ao consultório de um médico veterinário ao menos duas vezes ao ano. Uma vez diagnosticado o tumor deve-se retirá-lo cirurgicamente o quanto antes para que o mesmo não cresça o suficiente para romper a resistência da pele e ulcerar( abrir feridas na pele) onde pode-se ter uma piora do quadro clinico deste animal gerando muita dor,  podendo moscas fazerem posturas e levar  a miiase (larvas de moscas)no tecido em questão,  agravando o estado clínico deste paciente.

Deve-se fazer a retirada do tumor o mais rápido que possível evitando-se transtornos de dores,desconfortos,perda de apetite, prostações, emagrecimentos, ulcerações e miiases e também evitando que o mesmo se espalhe por outros órgãos piorando o estado clínico do paciente evitando assim maiores agravamentos em decorrência dos tumores

E por último a castração é um dos métodos de prevenção mais eficaz, visto que castrando as fêmeas antes do primeiro cio, como mostra este estudo, se diminui as chances de tumores de mama.

   "O índice de risco de desenvolvimento de neoplasmas mamários varia entre cadelas castradas e não-castradas e depende ainda da fase em que a castração é efetuada (Fonseca & Daleck 2000). A ovário-histerectomia (OH) realizada antes do primeiro estro reduz o risco de desenvolvimento de neoplasmas mamários para 0,5%; este risco aumenta significativamente nas fêmeas esterilizadas após o primeiro (8,0%) e o segundo (26%) ciclos estrais (Rutteman et al. 2001). O efeito protetor conferido pela castração desaparece se a mesma for realizada após os dois anos e meio de idade, ou após o terceiro ciclo estral, quando nenhum efeito é obtido pela OH (Fonseca & Daleck 2000).

Fonte - José C. Oliveira FilhoI; Glaucia D. KommersII; Eduardo K. MasudaI; Brenda M.F.P.P. MarquesIII; Rafael A. FigheraII; Luiz F. IrigoyenII; Claudio S.L. BarrosII

IPrograma de Pós-Graduação em Medicina Veterinária, área de concentração em Patologia Veterinária, Centro de Ciências Rurais (CCR), Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Santa Maria, RS 97105-900, Brasil

IIDepartamento de Patologia, UFSM, Av. Roraima 1000, Camobi, Santa Maria, RS 97105-900, Autor para correspondência: [email protected]

IIIBolsista PIBIC/CNPq/UFSM (2005)

Dra. Daniele Ferreira Milione
Médica Veterinária
Graduada U.F.Rural.R.J.(2005)
Pós Graduada pelo Quallitas : (2009 em Clínica e Cirurgia de Pequenos Animais)
Univiçosa (2013 em Cirurgia de Pequenos Animais)
Contato: (32) 98815 3142
E mail: [email protected]

Comentários neste artigo

 

Portal Oclick. De bem com a Vida!
Todos os direitos reservados.
Acesso Rápido:
iSoluçõesWEB