Respondendo a mais uma das perguntas mais frequentes que recebo em meus atendimentos:  Cães e gatos tem tártaro. Tem como prevenir e tratar?

Sim meus amigos leitores os animais também tem tártaros assim como os seres humanos e podemos evitar e quando já estão instalados nos dentes de seus mascotes, fazer a remoção.  Como muitas vezes seus proprietários desconhecem ou por não terem o hábito de olhar com frequência a cavidade oral de seus animais, ou porque os animais não permitam que o faça. Por isso sempre digo quando vou atender na pediatria - primeira consulta de rotina dos filhotes a partir de 45 dias- que devemos estar adquirindo o hábito de escovação diária desde os primeiros meses de vida, para que eles futuramente nos deixem fazer a correta higienização.

O que é o tártaro?  Com o tempo por conta de restos alimentares, mesmo se o animal só se alimenta de ração seca, biscoitos próprios para cães ou petiscos que os fabricantes prometem que "limpam " os dentes, o tártaro surge em função do acúmulo de restos de alimentos, formando uma placa de bactérias que podem causar problemas que vão muito além das conhecidas cáries. É sabido que existem raças mais pré-dispostas como Poodle, Punschers, Lhasa Apso , Shiu Tzu, Labradores entre outros, podendo acometer desde animais de pequeno porte até os de grande porte. 

Como saber se seu cão ou gato tem tártaro?

Muitas vezes em meus atendimentos escuto " Dra.  meu cão tem um bafo ..." ou reclamam que "Estão só querendo comer alimentos mais molinhos." ou " Temos que ficar umedecendo a ração para que eles comam" ... O tártaro causa mau cheiro pelo acúmulo de restos alimentares, bactérias, que juntos com as enzimas formam a placa de tártaro, que consequentemente dará mau hálito, a coloração dos dentes fica amarelinha ou até preta, depende do estágio e tempo que esta placa bacteriana se formou. E com a evolução poderemos ter perdas ósseas; se tornar uma gengivite (que é uma inflamação e muitas vezes infecção da gengiva) e com isso ocorre retração da gengiva expondo a raiz dentária gerando o aumento da sensibilidade e muitas vezes dor, onde o animal começa a diminuir a ingestão de alimentos e consequentemente emagrece os dentes podem enfraquecer e até caírem. As infecções mais severas podem evoluir até mesmo para uma meningite, afetando sistema nervoso central; levar a endocardite que é a degradação do miocárdio; do pulmão como fibrose pulmonar e bronquite, e vale ressaltar que algumas destas doenças podem ser tratadas mas podem também levar o animal a óbito.

Portanto a maior prevenção se faz por escovação diária, sim caros leitores, hoje já existe no mercado diversas pastas, escovas mais macias ou dedeiras para se fazer a correta limpeza dos dentes dos animais, é importante dizer que a pasta de dente ou creme dental que nós utilizamos, NÃO PODE ser usado neles, pois os mesmos vão ingerir, que é contraindicado. A limpeza será feita após as refeições ou no mínimo 3 vezes na semana. Se já instalado, o tártaro, deve-se levar seu bichinho de estimação ao Médico Veterinário para avaliação e fazer exames, pois a remoção dos tártaros se faz com anestesia e em ambiente cirúrgico, com auxílio de instrumentos adequados e com a segurança e o conforto que seu melhor amigo merece

Cuidado e prevenção sempre com seu animal de estimação, pois afinal, eles merecem

Dra. Daniele Ferreira Milione
Médica Veterinária
Graduada U.F.Rural.R.J.(2005)
Pós Graduada pelo Quallitas : (2009 em Clínica e Cirurgia de Pequenos Animais)
Univiçosa (2013 em Cirurgia de Pequenos Animais)
Contato: (32) 98815 3142
E mail: danielemilione@Yahoo.com.br